24 abril 2017

Oito modelos acusam donos da revista Playboy de assédio


Segundo elas, em troca de trabalho, o empresário André Luís Sanseverino, um dos donos da publicação no país, teria proposto sexo e pedido fotos delas nuas. As denunciantes haviam participado da festa de relançamento da revista como “coelhinhas da Playboy”, em agosto do ano passado, em Florianópolis (SC), e disseram que nunca mais foram chamadas depois de recusarem os pedidos.
Após a festa, Sanseverino teria enviado mensagens às modelos condicionando, segundo elas, novas oportunidades na revista em troca de sexo.
Outro dono da editora, Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva, também teria assediado as modelos durante a festa.
As modelos entraram com processo contra os dois empresários pedindo indenização por danos morais e lucros cessantes. Ao Fantástico, os dois sócios negaram ter assediado as mulheres.
RESPOSTA
A revista é editada atualmente pela PBB Entertainment, que, em nota, afirmou à TV Globo que André Sanseverino foi afastado por tempo indeterminado. Confirma a nota na íntegra:
“A PLAYBOY BRASIL declara que repudia toda forma de desrespeito contra a mulher. 
Informamos que decidimos pelo total afastamento do sócio André Sanseverino, por prazo indeterminado, de quaisquer atividades relacionadas à PLAYBOY.
Assim, qualquer declaração dada por André Sanseverino não reflete em absolutamente nada os valores da PLAYBOY. O mesmo encontra-se afastado da empresa e não responde mais pela mesma.
Acreditamos de forma franca e honesta que ele deverá colaborar para elucidar os fatos até que as denúncias sejam apuradas.
A PLAYBOY, ao longo de sua história, vem coadjuvando em defesa e em busca da liberdade e empoderamento das mulheres, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. E não será diferente neste momento.
Atenciosamente,
PBB EDITORA S.A”

http://veja.abril.com.br/brasil/oito-modelos-acusam-donos-da-revista-playboy-de-assedio/

Jerry Adriani


Morre o cantor Jerry 

Ele estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, onde tratava um câncer. Cantor será enterrado no Cemitério do Caju nesta segunda

Rio - O cantor Jerry Adriani, de 70 anos, morreu neste domingo, no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade, onde estava internado desde o fim de março. Ele estava em tratamento de um câncer. Jerry Adriani deu entrada na unidade para com um quadro de trombose profunda. Após uma série de exames foi diagnosticado o câncer, patologia divulgada pela família, mas sem maiores detalhes do tipo e gravidade.

A morte gerou uma séria de mensagens nas redes sociais de solidariedade postadas por amigos, familiares e fãs, se tornando um dos assuntos mais comentados no Brasil através do Twitter. Uma das amigas que escreveu sobre a morte de Jerry Adriani foi a cantora Luciene Franco. O velório e enterro do cantor está previsto para esta segunda-feira, no Cemitério do Caju, no período da tarde.
"Senhor, dai-nos força e alento. Dai a todos que o amamos, conforto neste momento. Paz para sua alma Luz para a sua passagem . Nosso amor segue com ele. Deus esteja ao teu lado, Jerry Adriani Descanse em paz, na Sua Glória", escreveu a cantora, sucesso na década de 60.
Trajetória
Jerry Adriani nasceu Jair Alves de Souza em 29 de janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo, nome pelo qual ficou artisticamente conhecido. Ele iniciou sua carreira profissional em 1964, com o LP Italianíssimo, mesmo ano em que gravou Credi a Me.
Um ano depois, ele estourou com Um Grande Amor, seu primeiro disco em português. Também em 1965 fez sua estreia na TV com o programa "Excelsior a Go Go", na Excelsior de São Paulo, em parceria com o comunicador Luiz Aguiar. O programa contava com grandes cantores da época, como Os Vips, Os Incríveis, Prini Lores e Cidinha Santos.
Jerry também comandou entre 1967 e 68, na TV Tupi, A Grande Parada, junto com Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera. O programa era um musical ao vivo que apresentava os grandes nomes da MPB. A partir daí, se consagrou definitivamente como um dos cantores de maior popularidade em todo o país.
O cantor e então galã também atuou no cinema, nos filmes "Essa Gatinha É Minha", ao lado de Peri Ribeiro e Anik Malvil e direção de Jece Valadão. Ganhou filmes próprios em filmes como Jerry, a Grande Parada e Jerry em Busca do Tesouro.
Em mais de 50 anos de carreira, Jerry Adriani gravou 29 discos, participou de uma coletânea de sucessos da Jovem Guarda e de trilhas sonoras de novelas, além de regravar sucessos de Elvis Presley, seu ídolo.
O último show do cantor foi no Teatro NET Rio, em Copacabana, no dia 22 de março. Sobre a apresentação, a cantora Wanderleia, que fez sucesso ao lado de Jerry Adriani, comentou: “Eu ainda falei para ele não fazer, que era melhor fazer os exames primeiro. Mas ele quis fazer, tinha certeza que seria o último show dele. Eu pedi para que o público comparecesse porque ele estava em um momento delicado, e o público compareceu em massa. Foi uma noite linda, ele fez um show maravilhoso”.
A cantora disse que acompanhou Jerry desde o primeiro mimento em que ele se surpreendeu com a doença, que logo o deixou no leito de hospital. “O Jerry é uma pessoa que em vida foi amigo dos seus amigos, companheiro fiel, uma pessoa generosa. Um homem gentil, amoroso, carinhoso. E com esse talento maravilhoso, só nos deixou coisas boas. Todos vão se lembrar da pessoa encantadora, bonita e correta que ele foi”.
Em 2008 gravou um de seus últimos trabalhos, o CD e DVD Acústico ao Vivo. Entre seus grandes sucessos estão as músicas Doce, Doce Amor, Querida, Tudo que É Bom Dura Pouco e Amor Querido.
Amigo e incentivador de Raul Seixas
Jerry Adriani foi o responsável pela vinda de Raul Seixas para o Rio de Janeiro, após conhecê-lo em Salvador e se tornarem grandes amigos. Foi ele quem deu a primeira chance para "Raulzito e os Panteras", quando o cantor ainda era um desconhecido do grande público, sendo a banda de apoio de Adriani durante três anos.
”Tudo que é bom dura pouco”, “Tarde demais”, “Doce doce amor” foram algumas das músicas do Maluco Beleza gravadas pelo artista. Raul também foi produtor de Jerry Adriani entre 1969 e 1971, até iniciar sua carreira solo.
http://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2017-04-23/morre-o-cantor-jerry-adriani.html

30 março 2017

José Mayer é acusado de assédio por funcionária da Globo


TV Globo se pronuncia: 'As relações entre funcionários e colaboradores se dão em um ambiente de harmonia'. Ator, que está no elenco de 'A Lei do Amor', teria ameaçado, insultado e tocado à força na moça

José Mayer Divulgação











Rio - A coluna recebeu uma denúncia de uma funcionária da TV Globo que pediu para não ser identificada. A funcionária do figurino afirmou que está sendo assediada por José Mayer. O ator, que está no elenco de 'A Lei do Amor', teria ameaçado, insultado e tocado à força na moça. Além disso, outra funcionária da equipe teria pedido demissão depois que ele a teria agarrado à força no camarim. Os departamentos artístico e de RH já foram acionados. A coluna entrou em contato com a TV Globo que emitiu a seguinte nota: "As relações entre funcionários e colaboradores da Globo se dão em um ambiente de harmonia e colaboração, de acordo com o Código de Ética e Conduta do Grupo Globo. O desrespeito no ambiente de trabalho não é tolerado pela emissora. A Globo não comenta assuntos internos"
Fonte: http://leodias.odia.ig.com.br/2017-03-03/jose-mayer-e-acusado-de-assedio-por-funcionaria-da-globo.html

27 março 2017

Exterior!!!! 10 cidades no exterior que você nunca pensou em visitar


10 cidades no exterior que você nunca pensou em visitar
Além de Londres, Paris e Nova York há cidades no exterior que merecem a sua visita pelas paisagens, belezas e culturas a se conhecer. Veja a lista.


Por Ana Luiza Fernandes

Quem viaja para o exterior normalmente volta com fotos de Paris, Nova York, Londres, Roma... Já pensou em viajar por lugares diferentes? Rotas alternativas que são maravilhosas mas pouca gente vai. Quem é um viajante de carteirinha garante que há cidades no exterior que compensam muito mais do que conhecer os grandes centros cheios de turistas, principalmente se a pessoa quer conhecer bem a cultura local.

FORA DA ROTA TRADICIONAL

Pensando nisso, o E-konomista fez uma lista de 10 cidades no exterior que fogem do lugar comum e valem muito a visita, confira!

1. NICÓSIA E AYIA NAPA – CHIPRE

cidades no exterior
O Chipre é uma ilha banhada pelo Mar Mediterrâneo localizado entre Europa, África e Ásia. É o local perfeito para quem quer curtir um destino diverso com cultura rica e belíssimas paisagens. A cidade-resort de Ayia Napa é o destino preferido de quem quer curtir belas praias e uma noite agitada. Para quem gosta de cultura e história vai encontrar na capital do país Nicósia mosteiros e igrejas bizantinas, ruínas romanas, castelos dos cruzados e até vestígios de habitação pré-histórica. E a cidade é ainda dividida por um muro que separa a parte moderna e antiga.
Um bom destino para: curtir praias incríveis e conhecer uma cultura única

2. KEKIRAWA, SIGIRIYA E ANURADHAPURA – SRI LANKA

cidades no exterior
O Sri Lanka enfrentou situações difícies como o tsunami do fim de 2004 e a devastação causada pela guerra civil que acabou em 2009. Agora em paz o país tem se tornado roteiro turístico de muitas pessoas que buscam rotas alternativas em cidades no exterior. É um país de fascinante cultura esbanja história, espiritualidade e paisagens místicas fabulosas. Quem gosta de cultura seencantará com o Buda Avukana gigante de Kekirawa, as ruínas de Polonnaruwa e a fantástica fortaleza Sigiriya. O idílico Parque Nacional Yala e a antiga capital Anuradhapura também são outros destinos relacionados e bastante visitados.
Um bom destino para: conhecer a cultura exótica do lugar em um passeio econômico e espiritual

3. BAÍA DE KOTOR E PRAIAS DA RIVIEIRA – MONTENEGRO

cidades no exterior
A natureza exuberante de Montenegro tem atraído turistas ávidos por trilhas e também belas e agitadas praias. Os melhores atrativos são a Baía de Kotor e as praias da Rivieira. O interior é belíssimo e oferece uma rede de trilhas a pé e de bicicleta além da aperfeiçoada infraestrutura tornam essas atrações naturais ainda mais acessíveis, enquanto gera emprego para os locais.
Um bom destino para: Prática de esportes, turismo de aventura, praias e badalação

4. QUITO E GALÁPAGOS –EQUADOR

cidades no exterior
Um destino para mesclar descanso com aventura. Para relaxar e curtir os dias como um rei, o Equador ofecere Galápagos: Com fauna e flora exuberante, esse paraíso natural composto por 13 ilhas principais fica no meio do Oceano Pacífico e oferece paísagens indiscritíveis. A aventura fica por conta de Quito e suas ferrovias descobertas em meio à floresta tropical. Os trilhos passam também pelo famoso vulcão Cotopaxi, de 5,9 mil metros de altura, e o Nariz Del Diablo, e assim que estiver totalmente concluído trecho de estrada ferroviária mais íngreme do Ocidente. A comida do Equador também é um show a parte.
Um bom destino para: provar culinária alternativa, apreciar beleza natural e percorrer belos roteiros ferroviários.

5. CIDADES DO VALE DO LOIRE – FRANÇA

cidades no exterior
Se você tem paixão por Castelos, precisa conhecer a região do Vale do Loire, na França. Lá estão mais de 300 castelos castelos construídos pela nobreza e realeza da França, entre os séculos 10 e 16.
É possível visitar alguns em tours de um dia que saem de Paris, mas melhor do que isso - e mais romântico - é hospedar-se na região. Das cidades no exterior mais indicadas para amantes de castelos estão Amboise, Angers, Blois, Chinon, Nantes, Orléans, Saumur, e Tours. Os castelos imperdíveis na opinião de quem já conhece são o Chambord, e o mais romântico, o Chenonceau.
Um bom destino para: passeio romântico e para ávidos por histórias de realeza

6. BALI E A ILHA DE SUMBA – INDONÉSIA

cidades no exterior
A Indonésia é um país cheio de contrastes e belezas. Cada ilha do arquipélago tem diferentes aspectos a serem explorados. Quem procura cenários magníficos e conhecer a cultura local, que é muito mística, não pode deixar de conhecer a capital Bali. Bali é rica em cenários românticos e natureza deslumbrante, além de ser um dos lugares que reúne mais adeptos do hinduísmo e do budismo, com cerca de 10 mil templos. Mas se você é daqueles que adora uma praia e descanso, vai adorar a ilha de Sumba. Lá é o lugar perfeito para curtir dias de descanso a dois em uma praia paradisíaca.
Um bom destino para: curtir a cultura mística local, belas praias paradisíacas, lua de mel

7. VARADERO – CUBA

cidades no exterior
Varadero tem sido descoberta por casais em lua de mel que não querem ir para os lugares mais badalados. Situada na Península de Hicacos, a aproximadamente 140 quilômetros de Havana, capital de Cuba, quem procura Varadero quer fugir da grande agitação de turistas dos destinos comuns a casais recém casados. São 22 km de areias brancas que emolduram as águas calmas e azuladas com sol quente o ano todo. Mas nem só de sossego vive Varadero, lá também é possível encontrar de parques a shoppings centers, além de locais para praticar esportes radicais.
Um destino bom para: curtir lua de mel num lugar diferente com beleza exótica , esportes radicais e bom para compras.

8. MARDIN E MIDYAT – TURQUIA

cidades no exterior
Quem busca rotas alternativas em cidades no exterior muitas vezes se deparam com a Turquia entre elas, mas evite os roteiros batidos de visitar a Capadócia e Istambul. Não tem nada de mal em visitar esses lugares, que são belíssimos, mas a Turquia é muito mais do que isso. Explore as cidades históricas de Mardin e Midyat, entregue-se às delícias culinárias de Gaziantep e desvende as ruínas recém-descobertas de Göbekli Tepe, perto de Sanliurfa.Percorra a pé a parte turca do Caminho de Abraão, recentemente inaugurado, onde você pode se hospedar em casas de famílias curdas, longe do burburinho turístico da costa e da Cidade Antiga de Istambul.
Um bom destino para:Conhecer a cultura local de perto, aproveitar culinária diferentee também para os amantes de história.

9. KEFLAVIK E REYKJAVIK - ISLÂNDIA

cidades no exterior
Viajar para a Islândia para estranho para você? Para além da cantora Bjork, pouca gente conhece algo sobre o país. Ele possui paisagens indescritíveis que inspiram devoção. Todos que conhecem, desenvolvem um amor incondicional a essa pequena ilha-nação, seja por sua paisagem quase enlouquecedora, pelos pratos deliciosos de cordeiro ou peixe ou pela sincera hospitalidade local. A quebra da moeda local, a Krona, tornou essa viagem bem mais acessível. As cidades que os visitantes dizem que não podem faltar são a capital Reykjavik e outra cidade próxima dali, Keflavik onde fica o aeroporto que dá entrada na pequena ilha.
Um bom destino para: fazer um passeio alternativo, econômico com belezas naturais e também para praticar esportes.

10. VIENA, BRATISLAVA, BUDAPESTE E BELGRADO – LESTE EUROPEU

cidades no exterior
Mais de duas décadas depois da queda do Muro de Berlim, os antigos países comunistas da Europa Central e Oriental desenvolveram um turismo único em suas paísagen dignas de cartão postal com um espírito muito diferente das cidades destino da Europa Ocidental. Por isso, se você procurar cidades no exterior alternativas a se visitar, temos várias dicas. Visite a Catedral de Santa Sofia em Kiev, Ucrânia. Faça um passeio de barco entre Budapeste e Bratislava. Vá a Pecs e conheça os prazeres da cozinha húngara, com seu uso generoso de páprica picante. E se quiser praia, tem ainda a opção de conhecer as praias de areia branca na costa báltica da Polônia. Um destino múltiplo e único ao mesmo tempo.
Fonte http://www.e-konomista.com.br/d/cidades-no-exterior/

Chá de Casa Nova! Confira lista completa para organizar o seu chá

Confira lista completa para organizar o seu chá de casa nova

Por Gabriela Ventura

Organizar um chá de casa nova não é tão cansativo quanto um chá de cozinha, mas rende pano pra manga para os moradores de primeira viagem. Nesse tipo de comemoração, não está implícito um casamento ou a junção de um casal. Qualquer um pode fazer: quem vai sair da casa dos pais, amigos que vão morar juntos e, claro, também pelos casais que pretendem se juntar. É um clima mais descontraído e os presentes não têm tanta exigência. Essa confraternização também é chamada por muitos de chá bar. Mas, afinal, qual é a diferença entre o chá de casa nova e o chá de cozinha?

CHÁ DE CASA NOVA: REUNIR AMIGOS E REDUZIR DESPESAS

Mudar sempre tem aquele stress. É difícil não precisar de um móvel novo, de um ajuste, de um mimo para a casa. E o chá de casa nova existe para aliviar o orçamento da galera que vai se jogar na aventura de viver só e facilitar a vida. Quem morou sozinho e não tinha sequer uma faca decente, que atire a primeira pedra.
O chá de casa nova é bem menos robusto que um chá de cozinha. Pelo clima mais descontraído, não cabe pedir conjuntos de chá. Quem organiza um evento desses não pensa em ganhar bandejas de prata, maleta de talheres e conjuntos de sobremesa. É um clima mais relaxado e serve para apresentar aos amigos a casa nova e comemorar muito a conquista, ganhando aqueles cobiçados itens de cozinha que nunca compramos, mas sempre fazem falta. Vamos abaixo aos itens mais comuns pedidos em chá de casa nova:
A - Abridor de latas e garrafas, açucareiro, assadeiras (P, M e G);
B - Batedor de claras;
C - Cafeteira, cesto de lixo (pia, cozinha e banheiro), cesto de roupa suja, colheres de pau, conchas, conjunto de pratos de jantar e sobremesa, conjunto de roupa de cama, copo medidor, cortador de pizza, cortina para box de banheiro;
D - Descanso de panelas e copos, descascador de frutas e legumes, desentupidor;
E - Edredom, escada de alumínio, escorredor de arroz e massa, escorredor de pratos, escumadeiras, espátula, espremedores de alho, batata e limão;
F - Facas de pão, facas de carne, ferro de passar, forminhas de gelo, forminhas de silicone, frigideira, funil;
G - Galheteiro, garrafa térmica;
J - Jarras, jogo americano, jogo de copos, jogo de panelas, jogo de pirex;
K - Kit de toalhas de rosto e banho;
M - Moedor de pimenta;
P - Pá de lixo, pimenteiro, panos de chão, panos de prato, pegadores de macarrão e sorvete, petisqueira, descanso de copos, porta-detergente, porta escovas de dente, porta guardanapos, porta talheres, porta temperos, pote de tempero com pilão, potes de mantimentos, pregadores, protetor de colchão e travesseiro;
R - Ralador, rodinho de pia, rodo, rolo para massa;
S - Saboneteira, saca-rolhas, suporte de papel-toalha;
T - Tábua de carne, tábua de passar, talheres, tapetes de banheiro, tesoura, toalha de mesa, travesseiros;
V - Varal, vasilha de plástico, vassouras, xícaras.

ONDE ENCONTRAR LISTAS PRONTAS DE CHÁ DE CASA NOVA

O site Morando Sozinha tem uma lista bonitinha e em completa dos itens necessários para organizar um chá de casa nova. Você deve baixar o modelo em PDF no site. O modelo que você vê está em JPG e a resolução pode não ser tão boa.

Fonte http://www.e-konomista.com.br/d/cha-de-casa-nova/

21 fevereiro 2017

Não é nenhuma novidade: Consultora identifica estudantes que fazem Direito por razões erradas






www.amodireito.com.br | 20 fevereiro, 2017 | IG @DireitoNews



Não é nenhuma novidade que muitos estudantes escolhem o curso de Direito por motivos que não garantem o sucesso na profissão. Por muitos anos, por exemplo, o sonho dourado dos pais era o de que o filho fizesse advocacia ou medicina. Até hoje, muitos estudantes optam pela advocacia porque “dá dinheiro”, “dá prestígio” e, quem sabe, “poder”, como outras profissões bem cotadas socialmente.

No entanto, a consultora profissional Shannon Achimalbe identificou outras razões pelas quais estudantes americanos escolhem a carreira de advogado, em detrimento de outras alternativas profissionais, por razões que não são as melhores para quem quer exercer a advocacia. Ela mesmo entrou na advocacia por motivos errados. E, por circunstâncias da vida, se tornou uma consultora profissional, um trabalho em que procura separar o joio do trigo — isto é, distinguir aqueles que não têm ou têm, digamos, vocação para a advocacia. Ela destaca:


O ativista


Ativistas — ou militantes — querem ser advogados para mudar o sistema. Muitos se tornam ativistas porque eles — ou pessoas próximas a eles — sofreram com decisões do sistema judicial, atos da polícia ou qualquer injustiça. Há casos em que a família do estudante perdeu muito dinheiro devido a eficiência do advogado da outra parte, que a “destruiu” no tribunal.

As histórias se seguem. Um estudante conta que, ainda criança, ouviu seus pais chorar e se queixar que tiveram de deixar sua casa e morar em um quarto na casa dos avós. Mais tarde soube que o locador triplicou o valor do aluguel, em violação à lei. Os pais decidiram se mudar porque não tinham dinheiro para contratar um advogado para processar o locador.

Um caso comum é de estudantes que foram vítimas de má conduta policial, principalmente as que foram vítimas de preconceito racial e os que estavam no lugar errado, na hora errada. Agora eles sonham em colocar a polícia “em seu lugar”.

Os ativistas pensam que, se foram advogados, entenderão melhor o sistema. Esperam proteger e educar outras pessoas sobre seus direitos jurídicos. Em muitos casos, querem ser defensores competentes de alguma causa que lhes é cara.

“Eu digo aos ativistas que seus objetivos são nobres, mas não precisam de um diploma de advogado para concretizá-los, embora isso possa ajudar. Eles podem, por exemplo, promover seminários e outros eventos junto com advogados criminalistas e de direitos civis. Ou podem trabalhar com autoridades governamentais ou fazer uma carreira política, se quiserem exercer um papel relevante na mudança do sistema”, afirma a consultora.


O determinado


De uma maneira geral, o estudante determinado já tomou a decisão de ir para uma faculdade de Direito que não está entre as melhores do país e ninguém pode impedi-los de fazer isso. Eles se recusam a reconhecer que a carreira de advogado não é mais o lugar seguro que já foi há algum tempo. Ou estão cientes dos riscos, mas decidiram ir frente de qualquer forma. Tornam-se defensivos, algumas vezes hostis, quando alguém questiona sua decisão.

Eles não pensam que são melhores que os outros porque, para eles, a vida  sempre foi dura e já lhes disseram que deveriam desistir de seus objetivos porque não irão concretizá-los. Eles são impulsionados, então, pelo desejo de provar que essas pessoas “do contra” estão erradas e é bem provável que consigam fazer isso. E quando o conseguem, perdem o ânimo para continuar na carreira.

Esses estudantes gostam de falar sobre as lutas que tiveram e têm de enfrentar constantemente, para justificar um suposto gosto pelas contendas. E de postar mensagens motivacionais na mídia social.

“Como o determinado já tomou sua decisão, não há praticamente nada que se possa fazer para mudar suas mentes. Qualquer tentativa de convencê-los será o mesmo que contrariá-los e isso só irá fortalecer suas decisões. Eu tento mostrar-lhes que existem outras opções de carreira nas quais sua determinação implacável poderia levá-los ao sucesso, mas eles não escutam".


O desacreditado


Esses estudantes chegam a pensar em alternativas para o curso de Direito, mas precisam de uma razão digna para evitar “cair em desgraça”, se anunciarem a desistência. Alguns querem apenas evitar um sentimento pessoal de fracasso. Outros sabem que irão enfrentar duras consequências se desistirem do curso de Direito. Por exemplo, seus pais irão cortar sua mesada ou até mesmo rejeitá-los, de uma ou outra forma, afirmando que eles “não querem nada na vida”. As pessoas mais próximas, incluindo aquelas com um relacionamento amoroso, podem mostrar um certo desprezo.

“Nessas situações, digo a essas pessoas que não é uma desonra mudar seus objetivos profissionais. As pessoas mudam de trabalho ou mesmo de carreira por muitas razões. Algumas vezes por opção própria, outras pelas circunstâncias da vida. Se alguém irá olhar com desprezo para você por causa disso, provavelmente essa pessoa não merece a sua consideração, de qualquer forma”, ela diz.

“Mas isso fica bem pior quando os interesses da família estão em jogo. Muitos pais não aceitam o que eles consideram rebeldia do filho, especialmente quando já gastaram muito dinheiro com escolas e professores particulares, carros e outros mimos. Isso não acontece como em filmes, em que o filho se rebela e os pais e os amigos acabam admirando seu caráter forte e decidido”.


O crente


Esses estudantes também estão determinados a fazer curso de Direito, mas sua motivação é outra: é um dever espiritual. Como os ativistas, eles querem se preparar para ajudar e educar os outros. A maioria estuda Direito e também religião na faculdade ou por conta própria. Frequentam igrejas e se esforçam por ser pessoas boas, moralmente.

E também há o caso, mais raro, do estudante que quer se tornar advogado porque testemunhou algum fenômeno estranho, como um arbusto em chamas do lado de fora de uma sala de tribunal, e o interpretam como um sinal divino. Ou porque tiveram uma “visão”.

“Quando converso com “crentes” sobre os custos da faculdade de Direito e sobre as dificuldades que os bacharéis enfrentam para se inserir no mercado, eles não me apresentam qualquer plano de carreira. Em vez disso, declaram sua fé em Deus ou em um “Plano Divino” e mencionam histórias de sucesso incidentais de outros crentes”, ela diz.

Segundo a consultora, muitas vezes ela tem de sustentar seus argumentos na Escritura. Ela diz a eles para levar em consideração, quando pensam no curso de Direito, as “promessas de falsos profetas”. E tenta explicar que a fé, apenas, não garante sucesso na advocacia. Aliás, a advocacia requer muito trabalho e muita ética, não fé.

“Deus promete a eterna salvação, mas ele nunca prometeu eterno emprego, nem salvação da enorme dívida que você vai contrair para fazer o curso de Direito”, ela diz. Nos EUA, um curso de Direito pode custar US$ 150 mil ou mais. O bacharel que não encontra emprego, logo depois da formatura, irá enfrentar um “inferno” financeiro, por assim dizer.

Por João Ozorio de Melo
Fonte: Conjur

Mentalidade errada! veja atitudes que só levam você ao fracasso, segundo especialistas




www.amodireito.com.br | 17 fevereiro, 2017 | IG @DireitoNews



 Se você já colocou, ou espera um dia colocar, sua carreira em “piloto automático”, ou seja, anseia por navegar pelo mercado sem que seja necessário fazer o esforço dos anos iniciais na profissão, cuidado. Isso pode levá-lo à derrocada, garantem especialistas.


“Não existe espaço para acomodados. Piloto automático para carreiras só serviria se fosse de 3ª geração e com inteligência cognitiva”, brinca, Irene Azevedoh, diretora de transição de carreira da LHH.

A dificuldade em perceber a volatilidade do mundo é mais evidente em profissionais de segmentos que enfrentam menos turbulências, segundo Irene.  Por outro lado, quem já passou por reestruturações, fusões e aquisições muito provavelmente tem maior grau de consciência.

“Não existe mais um mundo seguro, nem garantia, nem zona de conforto”, diz Jaqueline Weigel,  coach estudiosa de futurismo  e focada em ajudar as pessoas a fazer a transição para a nova era.  É que diante desse cenário, atitudes se tornam obsoletas e podem significar a fracasso profissional, segundo os especialistas.

O que acontece, muitas vezes, é que comportamentos  já sem validade hoje seguem sendo praticados por profissionais ainda que eles adotem discurso completamente diferente e ajustado aos novos tempos. “A maioria é farsa”, diz Jaqueline.

Confira que tipo de mentalidade não dá mais resultado na carreira de ninguém:


1. “Eu sei como se faz”


Imagine um engenheiro que há 30 anos trabalhe da exata mesma forma. A quem questiona o seu modo de fazer ele dá a clássica resposta: “sei como se faz, sempre foi assim que eu fiz”.

Profissionais com essa mentalidade perdem espaço para aqueles que têm o foco direcionado para a experimentação e visão sistêmica. Ganham destaque pessoas que topam experimentar novas maneiras de fazer as coisas e que consigam perceber como mudanças na rota afetam o todo da operação.


2. “Eu insisto”


Sem consciência da velocidade de mudança, insistir em caminhos antigos ainda que eles não funcionem mais é outra atitude obsoleta para limar da carreira. “Temos que parar de perder tempo tentando arrumar o que não vale. É como querer consertar um videocassete nos dias de hoje”, diz Jaqueline.

Se não traz mais resultado, o melhor é tomar outro rumo.“Pessoas muito rígidas e não dispostas a se adaptar a essa realidade de mundo volátil estão comentendo um dos erros que considero cruciais na carreira”, diz Irene Azevedoh.

A mudança é constante e rápida e já há quem saiba disso. “São aqueles profissionais que pensam: não deu certo? Vamos fazer de outro jeito”, diz Jaqueline.


3. “Uso meu poder para impor o que eu quero”


É o medo de não possuir as competências necessárias para percorrer novas trilhas que leva profissionais a adorar o que já conhecem. “Pessoas com essa mentalidade, geralmente, usam sua autoridade para impor velhos caminhos”, diz Jaqueline.

Executivos identificados com poder, comando, controle, ego e vaidade tendem a decretar sua vontade sem pensar no que é melhor para o negócio e, por isso, vão fracassar.

Está mais ajustado à atualidade quem é nutrido pelo novo e não liga para autoridade. “ Pelo contrário, compartilha o poder, estimula, empodera e acompanha, ao invés de controlar”, diz Jaqueline.


4. “Não olho à minha volta”


É o tal do piloto automático. “Enquanto não há razões graves, tem muita gente que não vai mudar”, diz Jaqueline.

O contrário desse comportamento é ser aberto, consciente e questionador. “Geralmente são pessoas imbuídas de grande valor moral e ético e que não se convencem com a máxima é assim que funciona”, diz Jaqueline.

Irene, da LHH, chama atenção para a importância da capacidade de aprendizado nesse mundo de rupturas tecnológicas. “Um recrutador vai querer saber, por exemplo, quantas vezes na carreira, o profissional quis aprender algo novo”, diz.

Ela afirma que adaptabilidade e capacidade de aprendizado fazem parte de um “pacote de competências” que todo profissional deve ter.

Por Camila Pati
Fonte: Exame

Informativo KMM

COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

BLOG: Informativo KMM

Minha foto

Com bela fotografia e conteúdos ecléticos, o BLOG Informativo KMM tornou-se um guia indispensável para o encontro dos profissionais e empresas do setor. Acompanhe e VISITE O BLOG! http://informativokmm.blogspot.com.br