03 julho 2013

15 filmes para ver e refletir! Raça Brasil selecionou grandes filmes estrangeiros que trazem o negro como tema central e que marcaram a história do cinema.


Eles foram resenhados e avaliados por uma dupla especializada: Alexandre Koball e Andy Malafaya, do site Cineplayers, um dos maiores e mais respeitados portais de cinema do País.

POR ANDERSON FERNANDES




Alexandre Koball indica...
Ao Mestre Com Carinho (1967)
Possivelmente o mais adorado filme que trata da relação professor versus aluno. O longa mostra Sidney Poitier - no auge da carreira - como um professor negro em uma escola de alunos predominantemente brancos. O maior desafio do professor Mark, porém, não é lidar com as diferenças raciais - embora elas existam - e sim com a falta de disciplina de boa parte dos estudantes.
Homens de Honra (2000)
Tem o aspecto de um filme comercial de Hollywood, e por isso sua mensagem não está escondida entre camadas sutis, esperando pela interpretação de seu público: além da dificuldade própria de seu trabalho, o fato de Carl Brashear (interpretado por Cuba Gooding Jr) ser o primeiro mergulhador negro da Marinha dos Estados Unidos (e mais tarde, o primeiro amputado) o tornou um grande exemplo de determinação, ao enfrentar o racismo nada discreto de seus colegas, e obter, daí, muitas conquistas.
Tomates verdes fritos (1991)
Considerado por parte do público um verdadeiro dramalhão, fez bastante sucesso à época de seu lançamento, mostrando a determinação das mulheres, pela história de Idgie e Ruth na primeira metade do século XX, no Alabama. Elas desafiaram os costumes ao conviverem com os negros de sua comunidade de igual para igual, afirmando, ao mesmo tempo, a ascensão da força feminina na sociedade, com opiniões firmes e corajosas.
A outra história americana (1998)
Um dos melhores filmes sobre o tema racial da década de 1990, não poupa o espectador da violência e do ódio ao mostrar os crimes de uma gangue racista de skin heads, formada por integrantes neonazistas, nos Estados Unidos. O filme tem o poder de mostrar como o ódio racial acaba com a vida tanto de agressores quanto de agredidos, e é contundente, principalmente pela mensagem e pela ótima interpretação de Edward Norton.
Hotel Ruanda (2004)
Um dos maiores genocídios do século XX aconteceu em Ruanda, entre duas facções de seu povo: Hutu e Tutsi. Paul Rusesabagina, vivido por Don Cheadle em uma de suas grandes interpretações, é considerado hoje uma espécie de Schindler africano, por ter salvado pouco mais de mil pessoas entre um milhão de mortos. Essa obra contundente conseguiu trazer, pelo menos um pouco, o foco dos problemas do continente esquecido para o mundo Ocidental.
Mississippi em chamas (1988)
Grande obra de investigação, que se passa nos anos 1960, em que o movimento pela igualdade entre as raças já não podia mais retroceder, ainda que alguns grupos radicais racistas insistissem no contrário. Dois agentes do FBI vão parar numa pequena cidade onde o ódio racial era enorme e acabam sentindo na pele a ira desses radicais. Bom exemplo do que a ignorância humana pode fazer quando se deixa cegar pela cor da pele ou crença religiosa.
Um Sonho de Liberdade (1994)
Mesmo como coadjuvante, Morgan Freeman fez uma das melhores interpretações de sua carreira. Na prisão Shawshank, onde muitos parecem ser inocentes, o talvez melhor ator negro de sua geração entregou uma performance fascinante. Não há traços de preconceito na amizade entre Andy (Tim Robbins) e Ellis (Freeman), demonstrando que a vida e a liberdade são gracejos muito mais importantes do que diferenças raciais.
Duelo de Titãs (2000)
O esporte, como outras áreas da sociedade, sempre sofreu com o racismo. E como nas outras áreas, também teve seus atos de coragem para que o preconceito fosse encarado. No filme, o diretor Boaz Yakin e o ator Denzel Washington mostraram com competência a história de um técnico de futebol americano negro no Estado da Virgínia, cujo desafio foi unir os jogadores, fazendo-os esquecer suas diferenças raciais. E depois conquistar o campeonato.
Amistad (1997)
Steven Spielberg dirigiu com boas qualidades a história real de uma época em que os negros ainda eram tratados como gado. O motim ocorrido no navio negreiro Amistad, entre Cuba e os Estados Unidos, em 1839, serviu para aguçar a necessidade de justiça que essas pessoas raramente viam. Os negros que se rebelaram naquele navio acabariam por ajudar o movimento abolicionista, pois o caso teve grande repercussão nas cortes americanas.

Andy Mala faya indica...
Crash - No Limite (2004)
No grande celeiro multiétnico chamado Los Angeles, diversos personagens se chocam revelando preconceitos, medos, angústias e ressentimentos. Ninguém escapa impune deste filme de Paul Haggis, premiado com o Oscar de melhor filme. Poucas vezes o cinema norte-americano colocou tão bem o dedo na ferida. Uma pequena fábula contra a intolerância nos Estados Unidos pós-11 de setembro
Tempo de Matar (1996)
Homem negro, após ter filha de 10 anos estuprada e quase morta por dois homens brancos, decide fazer justiça com as próprias mãos e assassina os responsáveis. O caso vai a julgamento e um advogado em início de carreira arriscará tudo para defendê-lo. Baseado em romance explosivo do especialista John Grisham, só não é melhor por conta da mão inconsistente do diretor Joel Schumacher.
Hurricane - O Furacão (1999)
O ódio racial faz que um pugilista em ascensão seja acusado injustamente por assassinatos. Atrás das grades cumprindo pena de prisão perpétua, consegue reabrir o seu caso na justiça e assim provar a sua inocência. Baseado na vida real de Rubin "Furacão" Carter, apresenta o melhor papel da carreira de Denzel Washington. Pena que o ritmo imposto pelo diretor Norman Jewison seja bastante irregular.
A Cor Púrpura (1985)
Baseado em romance de Alice Walker, vencedor do Pulitzer, foi o primeiro filme "sério" da carreira de Steven Spielberg. Whoopi Goldberg, em sua estreia no cinema, é Celie, mulher pobre, feia e negra que passa por todo o tipo de violência física e psicológica nas mãos do marido na esperança de encontrar a irmã desaparecida, durante a primeira metade do século XX.

Quase Deuses (2004)
A pós perder o emprego de marceneiro e todas as suas economias durante a Grande Depressão, jovem é contratado como faxineiro por um hospital. Nesse ambiente, um médico descobre sua enorme inteligência e ambos passam a trabalhar juntos. Porém, suas conquistas são minimizadas, pois ele, além de não ser médico, era negro. Bonito filme feito para a televisão, baseado em fatos.
O Sol é Para Todos (1962)
E m plena Grande Depressão, advogado sulista (Gregory Peck, em atuação vencedora do Oscar) tem de lidar com o amadurecimento dos filhos e com o caso de um negro acusado de ter estuprado uma mulher branca. Dirigido por Robert Mulligan e baseado em um dos romances mais amados pelos norte-americanos (de autoria de Harper Lee), mostra que o processo de formação de caráter começa ainda na infância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário e volte sempre!

Informativo KMM

COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

BLOG: Informativo KMM

Minha foto

Com bela fotografia e conteúdos ecléticos, o BLOG Informativo KMM tornou-se um guia indispensável para o encontro dos profissionais e empresas do setor. Acompanhe e VISITE O BLOG! http://informativokmm.blogspot.com.br