08 agosto 2013

CONHEÇA OS MÓRMONS



Os mórmons oprimem as mulheres?

Mulheres pregam dos púlpitos SUD e servem como presidentes de organizações, professoras, cabeças de comitês, etc., mesmo no nível global de liderança. A organização SUD de mulheres, chamada de a "Sociedade de Socorro", teve início em 1842 e é a maior organização de mulheres no mundo. A igreja também tem uma organização para as moças. Em 1870, Utah foi o segundo estado dos Estados Unidos que estendeu às mulheres o direito de votar. Wyoming ganhou da gente, já que estendeu o direito dois meses antes. 
 Os mórmons acreditam que aqueles de outras religiões "vão para inferno" ou que são malévolos?
O conceito mórmon de inferno—um lugar de sofrimento eterno—é reservado só para os muitos malévolos. Os retos membros de outras religiões, muitos dos quais estão honestamente procurando Deus, de nenhuma maneira serão condenados ao inferno. De fato, os mórmons acreditam que parte da verdade de Deus pode ser encontrada em todas as religiões. Como explicou uma mensagem oficial da primeira presidência da igreja do ano 1978, "Os grandes líderes religiosos do mundo tais como Maomé, Confúcio e os reformadores, e também filósofos como Sócrates, Platão e outros, receberam uma parcela da luz de Deus...

Os mórmons adoram Joseph Smith?

Consideramos Joseph Smith um profeta como Moisés, um homem através de quem Jesus Cristo restaurou sua igreja como existia antigamente. Respeitamos Joseph para o trabalho que realizou, mas reservamos a nossa adoração só para Jesus Cristo e Deus o Pai. Em 1820, quando tinha quatorze anos de idade, Joseph pensou profundamente ao considerar a igreja na qual deveria se afiliar. Após ter lido uma passagem na bíblia que ensinou que quem sente falta sabedoria pode pedir a Deus (Tiago 1:5)...

Mórmons têm um conceito não-cristão de Deus? Mórmons são politeístas?

O conceito da trindade (que Deus o Pai, Jesus Cristo, e o Espírito Santo são simultaneamente três entidades separadas e uma só "substância") foi adotado formalmente pela igreja cristã antiga no ano 325 d.C. com o credo de Nicene, após muito debate e com muitos dissidentes...

Os Mórmons rejeitam a salvação pela graça de Cristo?Acreditam que só as boas obras trazem a salvação?

Os mórmons de fato acreditam que o homem é salvo pela graça de Cristo. Apesar de nossos melhores esforços de obedecer—e a obediência é importante—somos todos pecadores. Salvar um pecador—mesmo um pecador imperfeito e humano que tem boas intenções...

Mórmons não são Cristãos?

Os mórmons são cristãos, como seu nome oficial, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sugere. É verdade que os mórmons não se consideram "protestantes", pois não protestam a igreja católica; as duas religiões têm trabalhado juntas em projetos humanitários e outros. É também verdade que não nos consideramos "cristãos renascidos". Embora acreditemos que se deve mudar o coração para vir a Deus –se deve nascer de novo espiritualmente– o rótulo "renascido" inclui muito mais do que uma simples crença no renascimento espiritual. 

Os Mórmons usam uma roupa de baixo diferente?

As roupas de baixo Mórmons, normalmente chamadas de garments ou de garment pelos membros da Igreja Mórmon é uma fonte de curiosidade e de ridicularizarão para as pessoas que não fazem parte dessa Igreja....

A Crucificação? Cristo não pos fim a necessidade de haver Templos?

Quando Jesus Cristo morreu na cruz, o véu do templo se rasgou em duas partes simbolizando que a crucificação de Cristo abriu o caminho para toda a humanidade entrar na presença de Deus. O Evangelho de Mateus diz: “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;” (Mateus 27:51). Algumas pessoas acham que isso foi o templo, e assim os templos Mórmons não são mais necessários.
Os Apóstolos de Jesus Cristo não pensaram dessa maneira, pois eles continuaram a visitar o templo com freqüência, após a ressurreição de Cristo.
Em Atos 2: 46 podemos ler o seguinte: “E, perseverando unânimes todos os dias no templos, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração”. Em Atos 3, Pedro e João pregavam e curavam no Templo em Jerusalém, assim como Jesus fazia. Paulo, em sua epístola para os primeiros Cristãos repetidas vezes mencionou o templo e usou seus símbolos para ilustrar o Evangelho de Jesus Cristo. De fato, o próprio Paulo visitava o templo de Jerusalém frequentemente. Em Atos 21:26 podemos ler: “Então Paulo, tomando consigo aqueles homens, entrou no dia seguinte no templo, já santificado com eles, anunciando serem já cumpridos os dias da purificação; e ficou ali até se oferecer por cada um deles a oferta”.
No capítulo 22 de Atos, Paulo teve uma visão de Jesus Cristo enquanto orava no Templo, a qual o Senhor dava para ele o mandamento de deixar a cidade e começar a pregar para os gentios (Atos 22:21). Por isso Paulo veio a ser conhecido como o Apóstolo dos Gentios. Em Apocalipse 7:15, podemos ver que aqueles que são salvos servem a Deus em seu templo dia e noite.
Deus tem dado o mandamento a seus filhos de construírem templos nos quais ordenanças sagradas podem ser realizadas. Quando Jesus morreu a antiga Lei de Moisés foi cumprida, mas foi substituída pela Lei do Evangelho. Podemos ler no capítulo 7 de Hebreus que Jesus foi um sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Hebreus 7:11). E que com o fim do sacerdócio Levítico, o qual terminou com a Lei de Moisés, o sacerdócio foi mudado para a ordem de Melquisedeque assim como a lei havia mudado. Hebreus 7:12 diz o seguinte: “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei”. Pedro também menciona este sacerdócio em 1 Pedro 2:5:
“Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo”.
Então, podemos ver que ainda que os Apóstolos de Jesus Cristo tinham esse novo, e mais elevado sacerdócio, eles ainda honravam o Templo porque eles sabiam que Deus ainda dava o mandamento aos homens de construí-los, mas para um propósito diferente, já que uma nova lei havia sido estabelecida. Em revelações modernas dadas ao profeta Joseph Smith, podemos aprender que uma das ordenanças realizadas nestes templos depois da ordem de Melquisedeque é o batismo pelos mortos, o qual Paulo menciona em 1 Coríntios 15:29, ao ensinar sobre a ressurreição para o povo de Corinto: “Doutra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se batizam eles então pelos mortos?”.
O Profeta Joseph Smith disse:
“E também, com relação a essa citação, mencionarei outra, tirada de um dos profetas que tinha os olhos fitos na restauração do sacerdócio, nas glórias a serem reveladas nos últimos dias e, de modo especial, no mais glorioso de todos os assuntos pertencentes ao evangelho eterno, ou seja, o batismo pelos mortos; pois Malaquias diz, no último capítulo, versículo cinco e seis: eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; e o coração dos filhos a sues pais. Para que eu não venha, e fira a terá com maldição. Eu poderia ter feito uma tradução mais clara, mas é suficientemente clara como está para servir ao meu propósito. É suficiente saber, neste caso, que a Terra será ferida com maldição, a menos que exista um elo de ligação de um ou outro tipo entre os pais e os filhos, sobre um assunto ou outro – e qual é esse assunto? É o batismo pelos mortos. Pois nós, sem eles, não podemos ser aperfeiçoados; nem podem eles, sem nós, ser aperfeiçoados. Nem podem eles nem podemos nós ser aperfeiçoados sem os que morreram no evangelho; pois é necessário, na introdução da dispensação da plenitude dos tempos, dispensação essa que está começando a introduzir-se, que uma total, completa e perfeita união e fusão de dispensações e chaves e poderes e glórias ocorram e sejam reveladas desde os dias de Adão até o tempo atual. E não somente isso, mas as coisas que nunca se revelaram desde a fundação do mundo, mas que se conservaram ocultas aos sábios e prudentes, serão reveladas a crianças e recém-nascidos nesta dispensação, que é a da plenitude dos tempos” (Doutrina e Convênios 128:17-18).
Dessa forma, ainda que os templos antigos e os modernos templos Mórmons tenham algumas pequenas diferenças, porque um estava sobre a Lei Mosaica e o outro trabalha sobre a Lei do Evangelho, eles centram totalmente em Deus, nosso Pai Celestial, e em Jesus Cristo. Os templos modernos, assim como os antigos, são locais sagrados onde as pessoas fazem convênios com Deus e onde eles recebem conhecimento e grande fortalecimento espiritual. O véu do templo, ao partir no meio, simbolizou que a morte de Cristo era o caminho para a salvação, mas as ações dos apóstolos mostraram, entretanto, que isso não diminuiu a reverência que os primeiros Cristão tinham pelo templo. De fato, o Novo Testamento está repleto de referências ao templo. Naquela época, assim como nos dias de hoje, o templo serviu como um local separado do mundo, para ser um local de adoração e para aquelas ordenanças sagradas que nos trás mais próximos de Deus e de Jesus Cristo.

Os Mórmons proibiam os descendentes de Africanos a se filiarem à Igreja?

Da década de 1850 até 1978, pessoas que eram descendentes de Africanos podiam (e de fato muitos o fizeram) se filiar à Igreja Mórmon, mas as pessoas de pele negra não podiam portar o sacerdócio, ou certas posições dentro da Igreja. Isso fez com que a Igreja Mórmon e seus líderes fossem taxados como racistas e preconceituosos. Nunca, em nenhuma época, foi negado a oportunidade aos negros de se filiarem à Igreja e sempre houve membros negros na Igreja, desde o seu princípio, muitos dos quais cruzaram as planícies com outros pioneiros Mórmons e que se assentaram em Utah. Ainda assim, essa prática continuou a fomentar críticas. Para entender o porque dessa prática, é importante entender um pouco mais sobre a Igreja.
No Mormonismo, o Sacerdócio representa o poder e a autoridade de Deus o qual Ele delega para o homem na Terra para guiar a Igreja de Deus e realizar ordenanças como o batismo. Enquanto traduzia o Livro de Mórmon, Joseph Smith. O primeiro profeta e fundador da Igreja Mórmon, leu sobre o sacerdócio. Ele e outro dos primeiros membros da Igreja, Oliver Cowdery, foram a um bosque para orar a respeito do que haviam lido. Um anjo apareceu para eles e lhes deu esse poder. Ele disse:
“A vós, meus conservos, em nome do Messias, eu confiro o Sacerdócio de Aarão, que possui as chaves do ministério de anjos e do evangelho do arrependimento e do batismo por imersão para remissão de pecados; e ele nunca mais será tirado da Terra, até que os filhos de Levi tornem a fazer, em retidão, uma oferta ao Senhor” (Doutrina e Convênios 13:1).
Algum tempo depois, através da visita de outros anjos, eles (Joseph e Oliver) receberam o Sacerdócio conhecido como Sacerdócio de Melquisedeque, ou Sacerdócio Maior, poder pelo qual eles puderam estabelecer A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no dia 06 de abril de 1830. Tudo isso aconteceu em Nova York e Ohio, mas logo após esses ocorridos a Igreja começou a se mudar para o Missouri e então para Illinois, local de onde foram expulsos por causa da perseguição. A Igreja cresceu e muitos milhares de membros se filiaram a ela, incluindo um grande número de membros negros, alguns dos quais haviam sido escravos em outras épocas. Nas décadas seguintes, e ninguém sabe ao certo quando isso começou, se tornou uma prática não ordenar homens negros ao Sacerdócio. Para complicar ainda mais esse assunto, alguns membros da Igreja Mórmon, incluindo alguns líderes, fizeram comentários racistas semelhantes àqueles feitos por outros Americanos da época, embora a maioria da liderança era completamente contrária ao racismo e a maioria dos Mórmons eram totalmente contra a escravidão.
Uma vez que as atitudes racistas eram comuns na América e nos paises da Europa no final do século dezenove e inicio do século vinte, tais práticas não chamavam a atenção de ninguém. Com o passar do tempo, os Estados Unidos começou a confrontar seu passado racista, e essa prática começou então a chamar muita atenção. Por volta do ano de 1900, Lorenzo Snow, o então Presidente da Igreja Mórmon, disse que não conseguia achar nenhuma passagem de escritura que justificasse essa prática, mas mesmo assim manteve a prática. Em 1954 o então presidente David O. Mckay e os Doze Apóstolos da Igreja Mórmon estudaram o caso. O presidente Mckay estava bastante preocupado com o povo africano e com o seu estado, então ele orou sobre o assunto, mas de acordo com seus próprios relatos, o Senhor falou a ele que o tempo ainda não havia chegado para que isso acontecesse. Ele tentou enviar missionários para a Nigéria em 1962, mas o governo nigeriano não permitiu que eles entrassem no país. Em 1973 o Presidente Harold B. Lee jejuou por três dias e noites enquanto orava sobre o assunto, mas a resposta que recebeu foi a mesma: o tempo não havia chegado ainda. Finalmente em 1978, enquanto se reunia com o Quorum dos Doze Apóstolos, o Presidente Spencer W. Kimball anunciou que ele havia recebido uma revelação dizendo que todo membro digno da Igreja, do sexo masculino, poderia receber o Sacerdócio. Desde aqueles dias até hoje, centenas de milhares de pessoas negras se uniram a Igreja Mórmon e tem sido ordenado ao Sacerdócio, em todas as partes do mundo. Hoje existem dois templos construídos na África.
Nenhum líder da Igreja Mórmon sabe explicar o porque houve esse fato de os negros não receberem o sacerdócio, embora muitos tenham tentando entender as razões. Houve muito desentendimento relativo à sua origem. Em 1949 o Presidente da Igreja fez a seguinte declaração:
“A atitude da Igreja com referência aos negros permanece a mesma que sempre foi. Não é uma questão de declaração da política da Igreja, mas sim uma ordem direta do Senhor, a qual é encontrada na doutrina da Igreja desde os dias de sua organização, para o fato que as pessoas negras pode se tornar membros da Igreja, mas eles não são intitulados com o sacerdócio nos dias de hoje”.
É importante frisar que ainda que os negros não pudessem portar o Sacerdócio, a Igreja Mórmon sempre ensinou que eles, assim como todas as outras pessoas, podiam ser salvas através da Expiação de Jesus Cristo.
Muitas explicações tem sido dadas para tentar explicar sobre esse fato, mas a maiorias delas dadas sobre especulações e muitos membros da Igreja tem continuado a espalhar rumores e falsas verdades sobre esse assunto.

Falsa Profecia Sobre a Segunda Vinda


Muitas pessoas, mesmo alguns Mórmons, acreditam que Joseph Smith profetizou que a Segunda Vinda aconteceria por volta do ano de 1890, entretanto, ele nunca fez tal declaração. Ele na verdade disse que a Segunda Vinda não aconteceria antes de 1890, mas que quando ela aconteceria, ele não sabia. Em 1843 os Estados Unidos ficou agitado com a declaração feita por um homem chamado Alexander Campbell, que disse que Jesus Cristo retornaria à Terra em 1844. Muitas pessoas estavam falando dessa profecia, inclusive os Mórmons. Joseph Smith orou então a Deus sobre esse assunto. A seguir foi o que aconteceu, de acordo com as suas próprias palavras:
“Certa vez eu estava orando fervorosamente para saber o tempo da vinda do Filho do Homem, quando ouvi uma voz dizer o seguinte: Joseph, meu filho, se viveres até a idade de oitenta e cinco anos, verás a face do Filho do Homem; portanto, que isto seja suficiente e não me importunes mais com esse assunto. Assim fiquei sem poder decidir se essa vinda se referia ao inicio do milênio ou a alguma aparição previa, ou ainda, se eu haveria de morrer e assim ver-lhe a face. Creio que a vinda do Filho do Homem não será antes desse tempo” (Doutrina e Convênios 130:14-17).
Está claro que ele não declarou que sabia quando seria a Segunda Vinda de Jesus, mas ele disse, que não podia decidir qual era o seu real significado. Uma vez que Joseph Smith nasceu em 1805, ele faria 85 anos em 1890 e assim muitas pessoas acreditam erroneamente que ele estava profetizando que a Segunda Vinda aconteceria em 1890.
Assim como outros Cristãos, os Mórmons ensinam que ninguém sabe precisamente quando Jesus Cristo voltará a terra, pois o próprio Salvador Jesus Cristo disse: “Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai” (Mateus 24:36). Anos depois alguns Mórmons declararam que ouviram Joseph Smith profetizou sobre a Segunda Vinda em 1890, mas eles se enganaram. O que Joseph realmente disse foi que Jesus não voltaria antes de 1890 e que eles deveriam continuar levando sua vida adiante. Certamente Jesus não voltou em 1890 e a profecia de Joseph Smith estava correta.

Aborto

Na sociedade atual, o aborto tornou-se uma prática comum, defendida por argumentos enganosos. Para esclarecer as dúvidas a respeito deste assunto, o caminho seguro está em seguir a vontade revelada pelo Senhor. Os profetas actuais denunciam a prática do aborto e citam declarações do Senhor. “Não matarás (…), nem farás coisa alguma semelhante”. (D&C59:6)
O conselho nesta questão é claro: os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias não podem praticar o aborto, realizá-lo, incentivá-lo, providencia-lo ou pagar por ele. Se incentivar a realização de um aborto por qualquer forma, estará sujeito à ação disciplinar da Igreja. Todavia, os líderes da Igreja não esquecem as circunstâncias excepcionais que possam justificar um aborto. A saber, a gravidez resultante de incesto ou violação; risco sério para a vida ou saúde da mãe, atestado por autoridade médica competente; malformações graves que impeçam a sobrevivência do feto. Porém, mesmo perante tais circunstâncias, o aborto não se justifica automaticamente. O casal deve, mesmo assim, considerar tão dolorosa decisão, somente depois de se aconselhar com os líderes locais da Igreja e receber confirmação por meio de sincera oração.
Sempre que uma criança é concebida fora dos laços do matrimónio, a melhor opção, para os pais dessa criança, é casar e preparar-se para estabelecer um relacionamento familiar eterno. Se o casamento tiver poucas probabilidades de ser bem sucedido e os pais tiverem acesso ao LDS Family Services (Assistência Social SUD à Família; actualmente, este serviço não existe nos países lusófonos, mas apenas nos EUA e Inglaterra), o ideal será considerar entregar a criança para adopção, de preferência através dos serviços de assistência social SUD à família, de modo a proporcionar à criança o crescimento no seio de uma estrutura familiar sólida, selada para a eternidade. Fonte:http://www.sexualidademormon.net

Casamento entre pessoas do mesmo sexo

A Igreja é contrária ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e a todas as tentativas de legalização dessa forma de casamento. Os membros da Igreja são instados a “fazer um apelo aos legisladores, juízes e outros líderes oficiais, para que preservem os propósitos e a santidade do casamento, entre um homem e uma mulher, e que rejeitem todas as tentativas de conceder autorização legal ou outro tipo de aprovação, ou apoio oficial, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo”.

Síndrome Da Imuno-Deficiência Adquirida (SIDA/AIDS)

Os membros da Igreja infectados pelo HIV ou que tiverem AIDS (SIDA) devem ser tratados com dignidade e compaixão. Se a infecção resultou da violação das leis de Deus, a Igreja prega o exemplo dado pelo Senhor, que condena o pecado mas ama o pecador e incentiva o arrependimento. Os membros devem estender a mão a essas pessoas com bondade e confortar a pessoa acometida, cuidando das suas necessidades e ajudando-a a encontrar soluções para os seus problemas.
Embora o HIV e a AIDS (SIDA) possam acometer vítimas inocentes, a principal protecção é a castidade antes do casamento, total fidelidade no casamento, a abstinência de quaisquer relações homossexuais, a não utilização de drogas ilegais e a reverência e cuidado pelo corpo.
A frequência às reuniões da Igreja das pessoas infectadas pelo HIV ou com AIDS (SIDA) não constitui um problema grave de saúde. As autoridades de saúde pública afirmam que o HIV nunca foi transmitido por contacto eventual no lar, escola, igreja e local de trabalho.
As pessoas que precisarem limpar locais ou objectos sujos de sangue ou que prestarem primeiros socorros a pessoas feridas devem aprender a seguir as recomendações das organizações de saúde locais.
As pessoas infectadas pelo vírus HIV ou que tenham AIDS (SIDA) devem ser tratadas como qualquer pessoa que expresse fé em Deus, se arrependa, peça para ser baptizada e esteja a viver o evangelho de Jesus Cristo (Ver Regras de Fé 1:1 e 1:4). Fonte:http://www.sexualidademormon.net

Casamento entre pessoas do mesmo sexo

A Igreja é contrária ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e a todas as tentativas de legalização dessa forma de casamento. Os membros da Igreja são instados a “fazer um apelo aos legisladores, juízes e outros líderes oficiais, para que preservem os propósitos e a santidade do casamento, entre um homem e uma mulher, e que rejeitem todas as tentativas de conceder autorização legal ou outro tipo de aprovação, ou apoio oficial, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo”.Fonte:http://www.sexualidademormon.net

Educação Sexual

Os pais são os principais responsáveis pela educação sexual dos seus filhos. Ensinar esse assunto de modo honesto e claro no lar irá ajudar os jovens a não se envolverem em transgressões morais graves. Para ajudar os pais a ensinar essa informação sensível e importante, a Igreja publicou o Guia para os Pais..
Nos locais onde existe educação sexual nas escolas, os pais devem procurar assegurar-se de que as instruções dadas aos filhos sejam condizentes com os bons valores morais e éticos.

REPORTAGEM NO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO (DEZ 2006)

País tem quase 1 milhão de mórmons e Igreja não pára de crescer.
Em seis anos, número de fiéis aumentou 460% no Brasil, enquanto a população de católicos encolheu

Adriana Dias Lopes( Repórter do jornal, O ESTADO DE SÃO PAULO)

Eles são os fiéis que toda religião procura ter. Os mórmons têm a doutrina na ponta da língua, se dedicam a programas missionários e pagam o dízimo em dia. E, o oposto do que vem ocorrendo com outras religiões na última década, o número de membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias - Igreja Mórmon - cresce cada vez mais.Neste ano, eles chegaram a 12,5 milhões no mundo - em 1990, eram 7,7 milhões. No Brasil, nos últimos seis anos, o número cresceu cerca de 460% (hoje são 928 mil, em 2000 eram 199 mil).

A última pesquisa sobre o trânsito de fiéis feita pelo Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais mostrou que o porcentual de católicos no País, por exemplo, caiu de 73,9% para 67,2% em cinco anos.

O dia-a-dia de um mórmon é rigoroso, o que torna a religião atraente para muita gente, de acordo com especialistas. 'Eles têm um programa sistemático de vida, assumem compromissos, têm comportamento regradíssimo', avalia Edin Sued Abumanssur, professor de Teologia e Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica (PUC). 'Em tempos de violência, de dificuldade em organizar a vida familiar, muitos podem ver a conduta mórmon como uma espécie de orientação.

'Os mórmons não tomam café, chá preto nem bebida alcoólica. Não fumam. Entrar nos templos, onde são feitos casamentos e batizados, é um 'privilégio sagrado'. Ou seja, apenas aqueles que têm uma 'vida digna' recebem autorização. E este é o principal objetivo de qualquer membro da Igreja dos Santos dos Últimos Dias.

Se pecar, o mórmon não é absolvido, como os católicos. A redenção, conquistada por etapas, é por conta dele. O primeiro passo é reconhecer o próprio pecado. Depois, restabelecer a situação criada a partir do pecado, pedir perdão a Deus e à pessoa prejudicada pelo pecado. 'O processo de arrependimento pode durar dias ou anos', explica Gerson Pereira Jaques, diretor de Comunicação da Igreja.

A doutrina explica quase tudo. 'Usamos muito pouco a palavra mistério', explica Paulo Renato Grahl, diretor de Educação Religiosa da Igreja.Eles acreditam, por exemplo, que os humanos existiram antes de nascer. Na vida terrestre, têm de provar que são dignos de voltar a viver no paraíso. Esperam a segunda vinda de Jesus, que trará mil anos de paz e alegria aos homens. Mas, antes que ele venha, haverá sinais e os obedientes os reconhecerão.

Não veneram a cruz porque é um símbolo de sofrimento de Jesus. Os batizados podem ser feitos depois da morte.'BIG LOVE'Os casamentos não são separados pela morte - eles duram a eternidade. A série Big Love, produzida por Tom Hanks, que estreou no Brasil em outubro no canal HBO, levantou polêmica, mostrando uma família mórmon polígama em Salt Lake City, sede da Igreja.Em resposta, a Igreja preparou uma nota internacional sem rodeios, afirmando que 'a poligamia foi oficialmente descontinuada na Igreja dos Santos dos Últimos Dias em 1890. Os grupos que continuam a prática não têm atualmente associação alguma com a Igreja. Infelizmente, esta distinção é freqüentemente perdida pelo público e até por certos jornalistas experientes.

'A Igreja Mórmon é dirigida por um profeta vivo e mais 12 apóstolos, assim como era nos tempos de Cristo. Eles aceitam a Bíblia como escritura sagrada, mas têm um livro próprio de interpretação, o Livro de Mórmon.O livro reúne relatos de apóstolos do continente americano. Para eles, Jesus passou pela região (provavelmente nos Estados Unidos) depois da ressurreição e falou com apóstolos, como Mórmon (que deu nome aos seguidores da Igreja).

Mas os mórmons surgiram bem depois. Em 1820, Joseph Smith, um jovem de Nova York, pediu a Deus orientação para saber qual das Igrejas ele deveria seguir. Em resposta, Deus e Jesus (em corpos separados) disseram que ele fundaria a Igreja verdadeira e que por isso não deveria se juntar a nenhuma outra.

EVANGELIZAÇÃO
Os mórmons sabem evangelizar como poucos. 'Eles são muito bem treinados. Têm a missão como meta principal', avalia Fernando Altemeyer, teólogo da PUC. 'Ao contrário do que ocorreu com eles, o católico foi se acomodando, deixando a missão na mão do padre.'Desde criança eles aprendem a colocar em prática os princípios cristãos, participando semanalmente das Escolas Dominicais. Um dos exemplos mais impressionantes são as detalhadas orientações sobre como viver a harmonia familiar. Os mórmons têm um livro de 346 páginas com sugestões de convivência familiar, como leituras, assuntos para conversas e brincadeiras.

Cientistas Mórmons.

*Alan Ashton: Inventou o processador de texto (WordPerfect).

*Nolan Bushnell: Fundou a empresa Atari e inventou o primeiro videogame, “Pong”. Também era o dono da empresa Churck-e-Cheese por um tempo.

*John Moses Browning (1855-1926): Um famoso fabricador de armas.

*William Clayton (1814-1879): Inventou o odômetro.

*Don Carlos Edwards: Inventou um molho popular (nos EUA) para batatas fritas (fry sauce).

*Philo T. Farnsworth (1906-1971): Inventou a televisão.

*Lester Wire (1887-1958): Inventou o semáforo elétrico. O primeiro foi posto em Salt Lake City!

*Henry Eyring (1901-1981): Foi um pioneiro na aplicação da mecânica quântica à química.
Recebeu o Prêmio Nacional da Ciência.

*Harvey Fletcher (1884-1981): Junto com Millikan, descobriu a carga elétrica de um elétron.
Também inventou o aparelho auditivo e foi presidente a Sociedade Americana da Física.

*William Hall: Primeira pessoa que produziu diamantes sintéticas. 

Políticos Mórmons.

*Michael O. Leavitt: Secretário Federal de Saúde e Serviços Humanos dos EUA.

*Mitt Romney: Ex-governador de Massachusetts, possível candidato para a presidência dos EUA nas próximas eleições.

*Terrel Bell (1921-1996): Secretário Federal de Educação.

*Angela "Bay" Buchanan: Tesoureiro dos EUA.

*David Matthew Kennedy (1905-1996): Secretário Federal de Tesouro dos EUA.

*Stewart Udall (1920-1998): Secretário Federal do Interior dos EUA.

*George W. Romney (1907-1995): Governador de Michigan.

*Ivy Baker Priest (1905-1975): Tesoureiro dos EUA.

*Ezra Taft Benson (1899-1994): Secretário Federal de Agricultura dos EUA. Depois se tornou o líder mundial da igreja SUD.

*William Ide (1796-1852): Presidente da República Californiana. “Em 1846, se juntou com John
C. Fremont na revolta Bear Flag. Capturaram Sonoma e o comandante mexicano da Califórnia do Norte. Ergueram uma nova bandeira e declararam a independência da República Californiana, nomeando Ide como presidente. Quando os Estados Unidos declararam guerra contra o México, Ide e os outros se juntaram com as forças americanas, assim terminando a independência californiana”. Ide talvez seja o único cabeça de estado mórmon na história, a não ser que as fofocas sobre o rei da Tonga (ou é Samoa?) sejam verdadeiras…

Atualmente há oito senadores mórmons—mais ou menos. Há 5 senadores mórmons nos Estados Unidos, um senador mexicano (seu bis, bis avô foi o primeiro missionário mórmon no México), o delegado ao congresso dos Estados Unidos da Somoa Americana (se a Somoa Americana fosse um estado americano em vez de um território, ele seria um senador) e um membro do parlamento Britânico. Os “senadores” vêm dos estados americanos de Utah, Nevada, Oregon, Idaho e Samoa Americana, do estado Mexicano de Chihuahua e da Inglaterra.

*Harry Reid: O atual líder do partido maioria no senado americano, um democrata de Nevada. Ele é o senador mais poderoso dos Estados Unidos.

*Rex Lee (1935-1996): Procurador-Geral dos EUA.

Esforços Humanitários Mórmons.

A igreja tem mandado Socorro para as vítimas de mais que 150 desastres só desde 1986. O socorro é providenciado sem importar detalhes tais como religião, etinicidade e nacionalidade e é estimado valer dúzias de milhões de dólares todo ano. Nos últimos 20 anos, 200 milhões de libras de comida, roupa e medicamentos foram doados em 147 países. O socorro é freqüentemente providenciado em países onde missionários mórmons são proibidos pela lei. A igreja SUD pode mandar socorro rapidamente, porque não há necessidade de esperar doações nem materiais. Os membros da igreja doam regularmente, e os materiais são armazenados em Salt Lake City e outros lugares, prontos para distribuição. A igreja SUD também trabalha extensivamente com outras organizações não-mórmons. Embora os programas específicos humanitários da igreja são muitos para alistar, aqui são alguns dos principais:

*Em 2001, a igreja estabeleceu o que chama de “O Fundo Perpétuo de Educação”. Empréstimos baratos educativos são feitos para estudantes pobres no mundo em desenvolvimento, estudantes que não poderiam obter uma boa educação de outra forma. Mais que 10.000 empréstimos já foram feitos, e o projeto está expandindo.

*A igreja teve um papel importante no socorro providenciado depois do tsunami na Ásia em 2004. Depois de trabalhar para resolver as necessidades imediatas da população, a igreja começou a trabalhar para o progresso de longo prazo, inclusive aumentando o número de empregos, melhorando o sistema de saúde (inclusive construindo salas de operação, doando máquinas de medicina e providenciando conselheiros de trauma) e a reconstrução de prédios comunitários (inclusive casa, hospitais, escolas e mesquitas). Em total, milhões de dólares já foram investidos neste tipo de socorro de longo prazo.

*A igreja tem um programa extensivo de visão no mundo em desenvolvimento, onde profissionais na área de medicina recebem o treinamento e equipamento necessário para tratar problemas de visão. Sob este programa que só custou um milhão de dólares, 20.000 indivíduos já receberam tratamentos de visão. 
*No mundo todo só um por cento de todos que precisam de cadeiras de rodas as têm, então a igreja já distribuiu mais que 100.000 cadeiras de rodas para pessoas em países do mundo em desenvolvimento, um programa que custou $6,8 milhões de dólares.

*A igreja já ajudou 1,8 milhões de pessoas em mais que 1.000 comunidades a conseguir água limpa, um programa que só custou $2,50 por pessoa. 



Este serviço incluiu cavar poços, providenciar sistema para armazenar e entregar a água e instalando sistemas para purificar a água. Geralmente trabalhadores locais são usados e líderes das comunidades locais foram treinados para poderem manter os novos sistemas.
*Gastando mais que $3,5 milhões de dólares, a igreja já mandou médicos para países do mundo em desenvolvimento para treinar profissionais locais de medicina na arte de ressuscitação de criancinhas recém-nascidas. Um milhão de criancinhas recém-nascidas morrem por causa de problemas respiratórios todo ano.
*Trabalhando junto com parceiros internacionais (a Cruz Vermelha dos Estados Unidos, a Fundação das Nações Unidas, os Centros para Controlar e Prevenir Doenças [Centers for Disease Control and Prevention], o Fundo para a Criança das Nações Unidas, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e da Crescente Vermelho.), a igreja doou $3 milhões de dólares para providenciar vacinas contra o sarampo para 200 milhões de crianças em 40 países africanos.
*Membros da igreja doaram 10.000 dias de trabalho para ajudar as vítimas do furacão Katrina nos Estados Unidos.
*A igreja oferece empréstimos para as empresas pequenas dos pobres em países em desenvolvimento. Em 2004, a igreja providenciou $31.1 milhões de dólares em dinheiro e materiais para ajudar as vítimas dos furacões na Flórida e no Caribe, tsunamis na Ásia do sul, Guerra no Iraque, enchentes na Colômbia e 110 outros desastres.” 


Trabalho humanitário da igreja.


A igreja é dona de 400 fazendas e 220 fábricas de enlatar comida, tudo para cuidar dos pobres. Os membros da igreja oferecem o seu tempo para trabalhar nestas fazendas e fábricas. Em 2003, mais que meio milhão de horas foram doadas Uma fazenda da igreja na Flórida é o maior rancho vaqueiro no mundo com mais que 312.000 acres.

A igreja tem um programa extensivo para ajudar os desempregados. Em 2003, centros de emprego da igreja ajudaram 85.000 pessoas nos Estados Unidos e no Canadá a acharem emprego. Mais ou menos o mesmo número de empregos foi conseguido por membros da igreja fora da América do Norte.

Serviços Familiares SUD (LDS Family Services), uma organização da igreja, tem 64 escritórios para providenciar adoção, adoção temporária (foster care) e serviços de aconselhamento.

46 lojas de economia da igreja funcionam em parte para providenciar emprego para os dificultados/desabilitados.

Estatisticas sobre o povo Mórmon.

Estatisticamente, de todos os estados dos Estados Unidos, Utah, onde a maioria da população é mórmon, é…

Primeiro em doações caridosas.
Primeiro em cientistas e computadores em casa.
Primeiro no número de cidadãos que têm menos que 17 anos de idade.

Em grade parte devido à influência da igreja SUD, de todos os estados dos Estados Unidos, Utah tem o menor índice (o quase o menor índice) de…

Gravidez e aborto entre os jovens
Fumantes (inclusive o menor índice de fumantes jovens)
Usuários de álcool
Casos de câncer
Doenças cardíacas (20% abaixo da média nacional)
Dias de trabalho perdidos entre um período de 30 dias por causa de doença física ou mental
Morte
Mortalidade infantil

Sendo mórmon tem outros benefícios não-esperados...

Mórmons ativos têm um índice sete vezes menor de cometer suicídio.
Mórmons vivem alguns anos mais do que a média americana nacional. 

Os mórmons rejeitam a Bíblia e acreditam somente no Livro de Mórmon?


Os mórmons aceitam a Bíblia (tanto o Velho quanto o Novo Testamento) como a palavra de Deus, desde que seja traduzida corretamente. Adicionalmente, acreditamos que o Livro de Mórmon, um outro testamento de Jesus Cristo, também é a palavra de Deus. Embora consideremos sagrados os ensinamentos de ambos, reconhecemos que o Livro de Mórmon é o mais correto da face da terra. O Livro de Mórmon não é um substituto para a Bíblia; ao contrário, o Livro de Mórmon é escritura adicional, usado junto com a Bíblia. Assim como Deus se revelou aos israelitas antigos, revelou-se também aos habitantes antigos do continente americano. O Livro de Mórmon é a história deste antigo povo americano.No ano 2004, o Livro de Mórmon já tinha sido publicado em mais que 100 línguas. Desde sua primeira publicação em 1830, mais que 120 milhões de cópias já foram produzidas. Mais que 4 milhões de cópias foram distribuídas só no ano 2004. 

Os mórmons rejeitam a evolução biológica? Os mórmons rejeitam a tecnologia?


Embora historicamente alguns líderes da igreja rejeitassem enfaticamente a evolução biológica, especialmente quando a evolução era ensinada como uma alternativa à religião, a posição oficial da igreja é que Deus nunca revelou como criou a vida, só que Ele a criou.
A idéia que os mórmons rejeitam a tecnologia vem daqueles que nos confundem com os Amish. De fato, os mórmons têm abraçado a tecnologia. Mórmons inventaram o processador de texto (WordPerfect), videogames (Atari, "Pong"), o odômetro, a televisão, o semáforo elétrico, o aparelho auditivo e diamantes sintéticos, entre outros produtos. A empresa Novell também foi fundada por mórmons. O personagem Kip do filme Napoleon Dynamite, feito por um ator mórmon, expressa o amor mórmon pela tecnologia na sua balada tocante, "Amo tecnologia... sempre e para sempre." 

Os templos mórmons são desnecessariamente luxuosos?


Alguns criticam a construção de templos, argumentando que o dinheiro para tal construção deve ser dado aos pobres. A dedicação mórmon aos pobres é indiscutível. Reconhecemos a importância de cuidar dos filhos de Deus tanto fisicamente através de nosso programa humanitário internacional, quanto espiritualmente através de nosso programa de construir templos. Se alguém falta as necessidades básicas da vida, pode ser difícil desenvolver o lado espiritual. Se alguém falta um relacionamento pessoal com Deus, pode ser difícil para até o homem mais rico ver o mínimo significado da vida.
Devemos cuidar tanto das necessidades físicas quanto das necessidades espirituais da humanidade; negligenciar um é negar o outro. Por que devotar tantos recursos à construção de templos bonitos? Como já foi mencionado, os mórmons não realizam suas reuniões semanais nos templos; os lugares onde realizamos reunião regulares, chamados de capelas, são simples. Diferentes das capelas SUD, os templos são considerados literalmente as casas de Deus. Assim como os israelitas antigos dedicavam muitos de seus recursos para construir templos santos, mórmons acreditam que sacrificar para construir templos é uma maneira de honrar a Deus. A beleza do templo também ajuda àqueles que nele adoram a reconhecerem que estão num lugar especial; contribui para o tom espiritual que lhes ajuda a sentir mais perto de Deus.
A beleza física do templo lembra a sua beleza espiritual; um lugar muito diferente da realidade áspera de suas vidas diárias. Embora a igreja faça grandes esforços para melhorar as condições de vida tanto para os mórmons quanto para os "não-mórmons", garanto que se muitos membros fiéis fossem forçados a escolherem entre ajuda monetária ou a oportunidade de adorar no templo, a escolha teria sido óbvio. Não devemos negligenciar as necessidades espirituais do ser humano.

Os mórmons fazem coisas estranhas em seus templos?


Os mórmons consideram as cerimônias do templo muito sagradas e assim são relutantes para falar sobre elas com os que não podem apreciar inteiramente o simbolismo religioso. Aqueles que ainda não são preparados para entrar no templo, um grupo que inclui ambos alguns mórmons e aqueles de outras religiões, são incentivados a participarem nas reuniões semanais nas capelas mórmons, onde a forma da adoração é menos simbólica e assemelha-se à forma de adoração encontrada na maioria das outras denominações. Tendo dito isso, nada estranho acontece nos templos. Está aqui uma breve lista de algumas das cerimônias que lá ocorrem.

Selamentos. Os mórmons acreditam que o casamento pode durar para sempre, não apenas até a morte. Este tipo de casamento eterno é chamado de "selamento" (The Holy Temple, Boyd K. Packer).

Investidura. Na cerimônia de investidura, os mórmons fazem promessas a Deus. Entre outras coisas, prometemos ser virtuosos, caridosos, benevolentes, tolerantes, e para usar os nossos talentos e os nossos recursos para ajudar a humanidade (The Holy Temple, Boyd K. Packer).

Batismos Vicários. O templo é um lugar onde os mórmons pensam muito em seus antepassados, em suas raízes. Acreditamos que depois desta vida os seres hum
anos continuam a progredir espiritualmente. Consideramos o batismo um passo importante neste progresso espiritual mas reconhecemos que muitos de nossos progenitores nunca tiveram a oportunidade de serem batizados enquanto na terra. Nos templos, podemos ser batizados vicariamente em seu favor, assim dando-lhes uma oportunidade de aceitar ou rejeitar o batismo. Os selamentos e as investiduras também são realizados vicariamente.
Alguns acreditam erroneamente que as nossas reuniões semanais de domingo são realizadas nos templos ou em edifícios chamados de "tabernáculos." Na realidade, as reuniões de domingo são realizadas em “capelas” SUD, edifícios que são abertos ao público. A igreja construía "tabernáculos" em seus dias iniciais, edifícios que eram usados mais como edifícios públicos das suas respectivas cidades. Aqueles tabernáculos que ainda permanecem são às vezes usados quando grupos grandes de mórmons se reúnem, como em "conferências regionais". Outros acreditam erroneamente que os mórmons querem impedir que os outros entrem nos seus templos. Ao contrário, a igreja se esforça de maneira extraordinária para incentivar todos os povos a prepararem-se para entrar no templo. Muito do programa missionário mórmon é dirigido a esta finalidade. Por causa da natureza sagrada das promessas feitas no templo, no entanto, somente aqueles que são preparados podem entrar. Sem a preparação necessária, as promessas e os símbolos sagrados não seriam apreciados. 

A igreja SUD se envolve demais na política?

A igreja SUD não apóia nenhum partido político e proíbe o uso de prédios e de listas telefônicas da igreja para finalidades políticas. A igreja incentiva membros a serem politicamente ativos, mas nunca indica a qual partido eles devem se juntar. Embora em ocasiões raras a igreja faça declarações oficiais sobre assuntos morais que por acaso são ao mesmo tempo tópicos políticos quentes, ela sempre se refere ao princípio moral e nunca aos partidos políticos que aceitam ou rejeitam tal princípio. 

Os mórmons são racistas?

Naturalmente qualquer grupo de milhões de pessoas incluirá alguns racistas, mas o racismo é condenado pela igreja e é rejeitado por todos os membros fiéis. Historicamente, as opiniões de alguns (embora nem todos) dos membros da igreja eram iguais às opiniões geralmente aceitadas (e freqüentemente incorretas) das suas épocas. Seria difícil encontrar uma organização de qualquer época cujos membros individuais estivessem livres da influência de filosofias humanas prevalecentes. Esta história, embora interessante, tem pouca relevância ao mormonismo moderno. Tendo dito isso, apesar das opiniões errôneas de alguns de seus membros no passado, a igreja sempre foi em certos pontos bastante progressiva.
Desde seu começo, a igreja denunciou o racismo.
Diferente que muitas denominações, a igreja SUD nunca teve congregações segregadas.
Mesmo quando a escravidão era legal nos Estados Unidos, muitos membros da igreja opuseram-na e/ou sua brutalidade.
Houve membros da igreja de descendência africana desde seu início.
A igreja apoiou o movimento dos direitos civis dos anos 1950 e dos anos 1960.
Os mórmons e os negros têm um inimigo em comum: o Klu Klux Klan.
Acho a acusação de racismo contra os mórmons particularmente ofensiva, já que o pai de minha esposa tem descendência africana. É particularmente irônico que muitas das organizações que falsamente acusam os mórmons de serem "racistas" são afiliadas com denominações religiosas que historicamente foram extremamente racistas. 

Todos (ou a maioria) dos mórmons são brancos?

Esta é uma idéia falsa (embora comum) nos Estados Unidos, porque muitos mórmons norte-americanos são de Utah, um estado por acaso situado numa região do país que é predominantemente caucasiano. Por exemplo, observe nos mapas abaixo que Utah e os estados vizinhos “não-mórmons” não têm populações substanciais de descendência africana. Observe abaixo a distribuição racial, e a distribuição de membros da igreja nos Estados Unidos.
Distribuição de Norte-americanos de Descendência Africana.
Distribuição de Membros da Igreja.
Tendo dito isso, há muitos membros da igreja de descendência africana. Globalmente, os caucasianos são uma minoria na igreja e estão diminuendo com cada ano que passa.


Os mórmons são excessivamente agressivos na sua obra missionária?

A idéia que os missionários mórmons são excessivamente agressivos provavelmente vem daqueles que nos confundem com os de outras religiões. Embora alguns poucos missionários inábeis possam ser erroneamente agressivos, a grande maioria seguem o treinamento oficial dado pela igreja. Esse treinamento ensina que os missionários devem ativa e entusiasticamente procurar aqueles interessados na nossa mensagem mas que não devem tentar forçar ninguém a seguir a religião. Os mórmons querem ajudar os outros a acender ou reacender a sua fé em Deus. Essa fé só pode vir de escolhas pessoais; tentar forçar a fé é tolice.

Os mórmons praticam poligamia?

Embora a poligamia mórmon seja um ponto histórico interessante, não é relevante ao mormonismo moderno. Faz mais que um século que os membros da igreja não praticam a poligamia, e todo membro da igreja com múltiplas esposas é excomungado.
Quando os mórmons praticaram a poligamia, era muito diferente que a poligamia praticada hoje por grupos dissidentes que deixaram a igreja SUD há anos, grupos que não são afiliados à igreja. Mesmo antes da igreja proibir a poligamia, o número de adultos mórmons que pertenciam a famílias polígamas não passou de 5% da população.
A poligamia não foi usada para oprimir as mulheres, como evidenciado por vários fatos históricos.
Muitas mulheres mórmons eram proeminentes em suas comunidades, mulheres tais como a Dra. Martha Hughes Cannon, que foi a primeira senadora estadual na história dos Estados Unidos.
Em resposta a legislação anti-polígama proposta no senado, 3.000 mulheres mórmons protestaram publicamente na cidade de Salt Lake, mostrando a um país surpreendido que apoiavam a poligamia. (Veja The Story of the Latter-day Saints, pg. 352.)
Utah era o segundo estado nos Estados Unidos que deu às mulheres o direito de votar.
De fato, reconhecendo que a poligamia foi altamente apoiada pelas mulheres de Utah da época, o congresso dos Estados Unidos tirou delas o direito de votar 17 anos depois que o governo de Utah tinha reconhecido aquele direito, numa tentativa federal de combater a prática. (Veja The Story of the Latter-day Saints, pg. 352-353.)
Atualmente, mesmo nos países onde a poligamia é legal, todos os indivíduos que a praticam não podem ser membros da igreja.
Os inimigos da igreja gostam de mencionar esta prática para criticar-nos, mais raramente mencionam que alguns muçulmanos e hindus modernos, juntos com israelitas antigos, também a praticam ou praticaram. Além disso, esta crítica direcionada aos mórmons é paradoxal porque a poligamia, embora historicamente interessante, não é relevante ao mormonismo moderno.
Tendo dito isso, sou grato pelo fato dos mórmons não praticarem a poligamia hoje em dia e que ela não tenha um papel na teologia mórmon moderna.
É sempre bom lembrar que o motivo da poligamia ser praticada naquela época não era para satisfazer desejos e desígnios do homem e sim para a ajudar, pois muitas mulheres se tornavam viúvas e passavam por dificuldades para manterem suas famílias. Foi dado à eles, pelo Senhor como mandamento à poligamia, para os homens com boas condições e que quisessem ajudar essas famílias.
É bom ressaltar que o governo não se preocupava muito com tais dificuldades e se tratando de Mormóns era bem mais difícil devido à perseguição religiosa.Com o fim da poligamia, não forçado pelo governo como muitos especulam, mas sim pela vontade do Senhor e da Igreja para melhor cumprimento das leis, pois o propósito da Igreja não é confrontar com o Estado mas sim procurar zelar por seus direitos e deveres, a Igreja não se preocupou com a pressão que o governo fazia mas sim pelo sofrimento que causaria aos membros retirando-lhes propriedades e patrimônios. 

Os mórmons oprimem as mulheres?

Mulheres pregam dos púlpitos SUD e servem como presidentes de organizações, professoras, cabeças de comitês, etc., mesmo no nível global de liderança. A organização SUD de mulheres, chamada de a "Sociedade de Socorro", teve início em 1842 e é a maior organização de mulheres no mundo. A igreja também tem uma organização para as moças. Em 1870, Utah foi o segundo estado dos Estados Unidos que estendeu às mulheres o direito de votar. Wyoming ganhou da gente, já que estendeu o direito dois meses antes. Algumas mulheres mórmons altamente visíveis incluem...

1:Ivy Baker Priest (1905-1975), que serviu "como a tesoureira dos Estados Unidos sob o presidente Eisenhower. Sua assinatura aparecia no dinheiro dos Estados Unidos de 1953 a 1961. Depois passou a servir como a tesoureira da Califórnia sob Ronald Reagan”.

2:Paula Hawkins, a primeira senadora federal dos Estados Unidos elegida do estado de Florida.

3:Dra. Martha Hughes Cannon, que foi a primeira senadora estadual na história dos Estados Unidos.
Outro fato interessante: os mórmons rejeitam a noção comum que a Eva foi enganada por Satã no Jardim de Éden e que, por causa de sua tolice, a tristeza e o sofrimento entraram no mundo. Ao contrário, consideramos a Eva sábia por ter reconhecido que a única maneira pelo qual os seres humanos poderiam progredir para se tornar mais como seu pai, seria se soubessem distinguir entre o bem e o mal, o certo e o errado, a tristeza e o sofrimento. A Eva não foi tolamente enganada; ao contrário, fez uma escolha consciente de tomar o primeiro passo para começar a progressão pessoal. Convenceu então Adão que fizesse o mesmo.

Os mórmons acreditam que aqueles de outras religiões "vão para inferno" ou que são malévolos?

O conceito mórmon de inferno—um lugar de sofrimento eterno—é reservado só para os muitos malévolos. Os retos membros de outras religiões, muitos dos quais estão honestamente procurando Deus, de nenhuma maneira serão condenados ao inferno. De fato, os mórmons acreditam que parte da verdade de Deus pode ser encontrada em todas as religiões. Como explicou uma mensagem oficial da primeira presidência da igreja do ano 1978, "Os grandes líderes religiosos do mundo tais como Maomé, Confúcio e os reformadores, e também filósofos como Sócrates, Platão e outros, receberam uma parcela da luz de Deus. As verdades morais foram-lhes dadas por Deus para iluminar nações inteiras e para trazer um nível mais elevado de entendimento aos indivíduos”.
Tendo dito isso, os mórmons claramente acreditam que sua mensagem é importante! 50.000 missionários voluntários de tempo integral não dariam dois anos de suas vidas a menos que pensassem que tivessem algo para dizer... 

Os mórmons adoram Joseph Smith?

Consideramos Joseph Smith um profeta como Moisés, um homem através de quem Jesus Cristo restaurou sua igreja como existia antigamente. Respeitamos Joseph para o trabalho que realizou, mas reservamos a nossa adoração só para Jesus Cristo e Deus o Pai. Em 1820, quando tinha quatorze anos de idade, Joseph pensou profundamente ao considerar a igreja na qual deveria se afiliar. Após ter lido uma passagem na bíblia que ensinou que quem sente falta sabedoria pode pedir a Deus (Tiago 1:5), Joseph decidiu perguntar diretamente a Ele para receber mais orientação. Numa manhã, na primavera de 1820 Joseph foi a um bosque isolado para perguntar a Deus em qual igreja deveria se afiliar. Enquanto orava, Deus o Pai e o Filho apareceram-lhe. Com esta visitação divina, chamada pelos mórmons de "a primeira visão", Deus restaurou a antiga igreja cristã.

Mórmons têm um conceito não-cristão de Deus? Mórmons são politeístas?

O conceito da trindade (que Deus o Pai, Jesus Cristo, e o Espírito Santo são simultaneamente três entidades separadas e uma só "substância") foi adotado formalmente pela igreja cristã antiga no ano 325 d.C. com o credo de Nicene, após muito debate e com muitos dissidentes.
Os mórmons acreditam que nesta altura a igreja antiga já tinha perdido a autoridade para agir no nome de Deus, e assim não sentimos obrigados a aceitar as decisões do credo. Por sorte, no entanto, a descrição da trindade do credo de Nicene é tão vaga que facilmente inclui o conceito mórmon de Deus. O conceito da trindade descreve um Deus em três pessoas; todos os três, como distintos 'pessoas', compartilham uma única essência divina, existência, ou natureza (veja wikipedia). Esta idéia é resumida no credo de Atanásio, escrito alguns anos após o credo de Nicene, que indica: "Mas a fé universal é esta, que adoremos um único Deus em Trindade, e a Trindade em unidade. Não confundindo as pessoas, nem dividindo a substância. Porque a pessoa do Pai é uma, a do Filho é outra, e a do Espírito Santo outra. Mas no Pai, no Filho e no Espírito Santo há uma mesma divindade, igual em glória e co-eterna majestade." Como é que os mórmons entendem este conceito tão confuso e aparentemente contraditório?
Deus o Pai, Jesus Cristo, e o Espírito Santo são três indivíduos fisicamente distintos, assim como minha esposa e eu somos fisicamente distintos. Que o Pai e o Filho são fisicamente distintos é evidente em João 17.

Os três são da mesma "essência, existência, ou natureza" (termos vagos) no sentido que operam em perfeita união de propósito, assim como minha esposa e eu operaríamos em união perfeita como um só casal se fôssemos seres perfeitos. Alguns criticam a igreja SUD, alegando que não é uma denominação cristã. Por acreditar que Deus o Pai, Jesus Cristo e o Espírito Santo são fisicamente separados embora perfeitamente unidos em propósito, é alegado que a teologia mórmon é incompatível com o credo de Nicene. O motivo de considerar aceitar o credo de Nicene um requisito essencial para todo cristão não é explicado, nem são satisfatórias as razões por que a teologia mórmon viola tal credo. Outros críticos vão além disso, alegando que os mórmons são politeístas. Esta idéia é simplesmente errada. Os mórmons acreditam no Deus mostrado pelas escrituras; acreditam que Deus o Pai, Jesus Cristo, e o Espírito Santo juntos constituem uma única "Divindade." No mormonismo, as palavras "Deus" e "Divindade" são usadas freqüentemente como sinônimos. Quando dizemos que Deus é onipotente, onisciente, onibenevolente, eterno, imutável e imortal, não distinguimos entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo, mas referimos a eles coletivamente como uma só entidade, a Deidade, ou, muitas vezes, simplesmente Deus. 

Os Mórmons rejeitam a salvação pela graça de Cristo?Acreditam que só as boas obras trazem a salvação?

Os mórmons de fato acreditam que o homem é salvo pela graça de Cristo. Apesar de nossos melhores esforços de obedecer—e a obediência é importante—somos todos pecadores. Salvar um pecador—mesmo um pecador imperfeito e humano que tem boas intenções, mas que apesar de seus melhores esforços, falha de vez em quando—viola a lei da justiça de Deus. Mas condenar uma pessoa com boas intenções viola a lei da misericórdia de Deus. Este paradoxo aparente se resolve pela graça de Cristo, quem pagou o preço de nossos pecados sob condição de nosso esforço pessoal e nosso arrependimento sincero. 

Mórmons não são Cristãos?

Os mórmons são cristãos, como seu nome oficial, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sugere. É verdade que os mórmons não se consideram "protestantes", pois não protestam a igreja católica; as duas religiões têm trabalhado juntas em projetos humanitários e outros. É também verdade que não nos consideramos "cristãos renascidos". Embora acreditemos que se deve mudar o coração para vir a Deus –se deve nascer de novo espiritualmente– o rótulo "renascido" inclui muito mais do que uma simples crença no renascimento espiritual.

A fé SUD em Cristo é baseada em sua vida como descrita no Novo Testamento. Os Mórmons também acreditam que após sua morte e ressurreição em Israel, o Cristo então glorificado visitou outros povos, inclusive um povo do antigo continente americano. O relato desta visita pode ser encontrado no Livro de Mórmon. 

Matéria divulgada pela revista Época logo após a dedicação do Templo de São Paulo

Dois rapazes de cabelo bem aparado, identificados por um crachá na imaculada camisa branca de manga curta, empunham livros com os quais todos os dias fazem catequese nas ruas, de porta em porta. Um dos volumes é a Bíblia protestante. O outro, um enigmático livro com o desenho de um anjo na capa: Moroni. A imagem inconfundível dos missionários mórmons é o máximo que a grande maioria dos brasileiros conhece desse culto. Até o dia 14 de fevereiro, no entanto, interessados em saber um pouco mais sobre a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, nome oficial da religião, poderão fazer visitas guiadas ao templo de São Paulo. Inaugurado em 1978, ele foi o primeiro na América Latina e será reaberto após dois anos de reforma. Depois disso, será ''dedicado'' e, como os demais templos mórmons, voltará a ser acessível apenas para iniciados.
''Esperamos receber 250 mil pessoas'', anima-se um dos líderes da igreja em São Paulo, o empresário Paulo Vicente Kretly. Ele pretende aproveitar a ocasião para desfazer alguns equívocos sobre os mórmons, alimentados em parte pelo perfil peculiar desse culto. Um livro polêmico sobre uma dissidência fundamentalista dos mórmons, lançado no ano passado, tem dado trabalho extra à comunidade nesse sentido. ''Conhecer nosso templo será não apenas um passeio diferente, mas ajudará a acabar com alguns mitos, como o de que os membros da igreja são ricos e seus rituais secretos'', alinhava Kretly.

O passeio é realmente bastante original, mas não necessariamente enterra mitos. As 118 salas que ocupam quase 5.000 metros quadrados na Zona Oeste de São Paulo são decoradas com pompa. Lustres e vitrais vieram dos Estados Unidos e da Itália, sofás foram feitos sob medida, desenhos diferentes para cada ambiente ornam sancas e carpete. À exceção de algumas salas com piso de mosaico ou de mármore, o templo é acarpetado para garantir o silêncio dos ambientes.
Não se vêem janelas e o ar-condicionado funciona a uma velocidade abaixo da normal, também para garantir a quietude do lugar. A iluminação ajuda a criar o clima propício para a experiência espiritual: vai se intensificando nos vários ambientes conforme sua proximidade com o principal, a Sala Celestial, uma representação simbólica do paraíso. Cristais incrustados no vitral dessa sala foram especialmente enviados aos EUA para ser lapidados.
A riqueza evidente no templo paulistano explica-se pela extrema organização e pelo rigor dos mórmons, ou Santos dos Últimos Dias, como preferem ser chamados. Eles são muito exigentes quanto à conduta moral de seus membros e sua participação de fato na comunidade. Por isso, embora não seja obrigatório, o dízimo de 10% dos rendimentos é pago pela grande maioria dos fiéis, o que garante à igreja recursos para erguer belos templos ao redor do mundo, financiar as missões de seus jovens e ainda promover obras sociais. Nos Estados Unidos, os mórmons são proprietários de inúmeras empresas, e não se tem notícia de escândalo financeiro que comprometa a instituição. O clero não é remunerado nem profissional - cada membro presta serviços voluntários por determinados períodos.

Enquanto as 930 capelas mórmons do Brasil podem ser freqüentadas por qualquer pessoa, os templos são reservados apenas aos iniciados, ou seja, a quem está há mais de um ano na religião. Para tanto, é preciso ser apresentado por um membro antigo e passar pela sabatina de um líder. Para entrar nas salas do imenso e silencioso labirinto, os mórmons trocam as roupas por vestes brancas, um sinal de que se despem das coisas do mundo e ficam iguais perante Deus. Lá meditam, assistem a palestras e vídeos e, principalmente, participam de cerimônias chamadas ordenanças, cujo ritual não é revelado senão aos iniciados.
''Não há segredo, mas as pessoas precisam estar preparadas para se aprofundar'', explica o juiz Flavio Cooper, outro líder dos Santos. Até 2000, o templo de São Paulo era o único no Brasil. De lá para cá, outros suntuosos prédios foram inaugurados no Recife, em Porto Alegre e Campinas. Embora sejam quase 12 milhões no mundo, os mórmons somam apenas 200 mil no Brasil, segundo o último censo do IBGE. A igreja contesta. Garante que, graças a sua agressiva estratégia de proselitismo, em oito décadas converteu 860 mil almas.



Para os mórmons, a família é sagrada e eterna. Além do casamento realizado nas capelas, incentivam o selamento, uma espécie de matrimônio para a eternidade. Também cuidam de batizar e casar, ''por procuração'', familiares mortos que porventura não tenham conhecido a religião. A fim de não deixar de fora nenhum dos finados parentes, investem em valiosas pesquisas genealógicas.
''A família é nosso maior investimento. Como mórmons, reservamos a ela uma noite da semana e outra para desfrutar apenas com o cônjuge'', explica o editor Cláudio Cuellar, de 53 anos. Ele e a esposa têm seis filhos e dois netos. Prezam tanto a família que compraram um terreno ao lado da casa para fazer uma área de recreação em que todos possam ficar juntos. ''Quando as pessoas conhecem os mórmons de perto, nos respeitam pela conduta ética.'' Além de preservar a família e a castidade, os Santos não fumam, não bebem álcool, café ou chá e usam vestes especiais brancas sob as roupas como sinal de recato, fé e proteção.
 


Fontes: Marcelo Spatafora/ÉPOCA
http://conhecaosmormons.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário e volte sempre!

Informativo KMM

COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

BLOG: Informativo KMM

Minha foto

Com bela fotografia e conteúdos ecléticos, o BLOG Informativo KMM tornou-se um guia indispensável para o encontro dos profissionais e empresas do setor. Acompanhe e VISITE O BLOG! http://informativokmm.blogspot.com.br